quarta-feira, 14 de setembro de 2016

MAPA de RISCOS e a arte de NEGOCIAR

O MAPA DE RISCOS em grande parte das empresas é desenvolvido por uma empresa de consultoria, não tendo a participação da CIPA e dos trabalhadores. E, quando existe, afixado na parede, sem qualquer interferência no ambiente de trabalho, de nada adiantará. 

Na sua empresa a CIPA desenvolve o Mapa e tem condições de negociar com os empregadores as melhorias postuladas? 


A essência do Mapa de Riscos

MAPA DE RISCOS nada mais é que o mapeamento dos riscos sob o ponto de vista do trabalhador. Os cipeiros devem identificar os riscos da fábrica para poder elaborar o Mapa.

É uma metodologia de avaliação simples, onde o trabalhador, representado pela CIPA, mostra o seu entendimento sobre os riscos existentes nos locais de trabalho.

Não existe modelo próprio, portanto, pode se utilizar qualquer modelo e formato, por mais simples que seja. Use uma forma que todos entendam.

O importante é que o Mapa seja legítimo, isto é, realmente feito pela CIPA, com a participação de todos os trabalhadores da fábrica. Vamos fazer valer nossos direitos.

A arte de negociar 

Para muitos, esta é ainda uma palavra difícil. Quando falamos em negociação com o empregador, parece que pretendemos exigir muito dos trabalhadores. Mas, não é exatamente assim. A bem da verdade, todos passamos por processo permanente de crescimento e, patrões e trabalhadores buscam objetivos comuns.

É do nosso interesse que a empresa cresça, progrida, se dê bem quanto à concorrência e assim vai. Também é do nosso interesse que a integridade física do trabalhador, que é um direito sagrado, seja respeitada.

Dentro deste direito está o trabalho (decente) em um ambiente digno e seguro. E, nesse mesmo ambiente saudável, serão produzidos bens de consumo, com a qualidade e a produtividade necessárias para que a empresa atinja seus objetivos de crescimento e de estabilidade econômica.

Com esse propósito, entendemos que a maturidade nos mostra que o caminho para resolvermos os problemas encontrados em nossas fábricas é o da discussão transparente, do respeito mútuo e o da objetividade. Queremos o compromisso dos empregadores que irão respeitar os nossos direitos e saberemos cumprir a nossa parte.

Assim, a atividade do MAPA DE RISCOS é o início do exercício de negociação para se buscar as melhorias propostas. Negociar é conversar com essa transparência e com a pretensão de caminhar para o entendimento. É buscar a solução para as questões de conflito, de forma madura e inteligente.

Negociar faz parte do dia a dia do comportamento das pessoas. Aprendemos a negociar preços, formas de pagamento, parcelamento para as nossas dívidas, negociamos em todo momento e em diversas situações.

As decisões devem ser encaradas sempre de forma bilateral, isto é, salvaguardando o interesse de ambos os lados, em um processo em que todos os participantes ganham.

Nenhum comentário:

Postar um comentário